29 de mai de 2009

Você é a segunda coisa... fato, evento, encontro...
mais importante que aconteceu em minha vida, de três...
A primeira foi existir, a terceira... ainda não aconteceu!

Lembranças que disparam o coração
Uma visão de outrora, crua & nua
ontem eu te vi na rua
ontem passei pelo seu corpo novamente
Como passa um fantasma
Ignorando o depois do despertar do antes
eu sei, eu sei que sempre te carrego
sei que aprendi a amar contigo
Levando sempre o que trago aprisionado
Escravo que sou de suas cores & perfume
passei por ti, nunca passei por ti
e somos cegos do que passou
Negando nossos erros de Eros
Esquecidos dos deuses adeuses em forma de beijos
ontem te vi e você não me viu
então... adeus!
eterno retorno
então... hoje te vi e você me viu
olá! olá! Adeus mais uma vez...
.

Uberlândia, 28 & 29 de Maio de 2009.

2 de mai de 2009

Do rio que tudo arrasta se diz que é violento, mas ninguém diz violentas as margens que o oprimem. (Brecht)



Uma resposta
um poema
de confusão & loucura
Minha essência
cravada na pele
caos & vácuo
consciência & abismo
Pulsando no cérebro cansado
dormente na mente doente
A autenticidade é uma explosão
uma textura de agonia & liberdade
uma exclusão das ninharias
-deixe-me exaurir...!!!!!

Querendo um resposta à esse apelo do vazio
Vasculho todo abismo em sua nadisse
Insana tolices
De cada ato no ato – atuar & aturar
Saturado, maturar
saltando no vão das escolhas vãs
colhendo, dando algum sentido
à toda essa frustração!!!
Que não me pede
mas comanda
impele na pele a textura dessa carnificina
-onde estou eu nessa tempestade?????