16 de ago de 2017

vas spagyricum

.
..
de
que
você zela
nesse quarto
escuro, às vezes
parece que nem tu
sabes; dança no jardim
à porta do pomar, inebriada
não com os perfumes invisíveis que
me atraem, mas com a vibração do chão
que lhe agita; tal a causa do magma que brota &
nos expulsa do paraíso, energia & matéria;
& abandonando o exilio, de volta ao lar,
tu és o abrigo no qual nos perdemos
enfim, és salvação; mas vigias
como anjo cego a porta do
céu enquanto sonho com
as rosas, espinhos &
frutas, tua flor de
lótus quente &
o nada que
achamos
sempre
ali
..
.



2 de ago de 2017

Legendas para Photographias

...corrompa
até eu não suportar mais

...torne-se insignificante
toda tortura alcança o ponto
onde o que dói é o espírito
& já não nos importamos mais

...hoje nascer & ser o que se é
já é errado

...a janela da alma
confundida com a porta dos fundos

...o pecado veste tantas máscaras
que não há rosto para o perdão

...na decrepitude
do vício libertário
nossas falhas são virtudes

...penetramos essa outra realidade
sem saber se lá
há ar & água

...sufoca tantos sorrisos
& seca a garganta o desejo
como à pouco a luz cegava

...é verdade
inventaram para nós
a“alegricidade”

...uma sombra fria pelo canto dos lábios
onde beijos não brotam mais
& espinhos testificam que passou por ali
outrora
uma chance de amorosidade

...as crianças ainda nascem
& elas nada nos devem

...são frutos
de plantas carnívoras

...projetei um sonho
isolado de tudo
ele fica bem no meio da tempestade
onde ninguém quer ir

...a herança do agora
é a necessidade de esquecer

...a urgência do amanhã
será a necessidade de lembrar
o que era insatisfação

...não sobrará nada
dessa era de turismo instantâneo
pela intimidade alheia

...no campo de concentração das faces
só a feiura tem a noção estética
de que mais do que ver
é importante saber apreciar

...as florestas desmatadas de árvores que caminham
impõem ver beleza na sinuosidade
dos troncos retorcidos pela queimada

...flores & folhas outrora caiam
tão abundantes como esperma & suor
no chão dos bordeis & academias

...agora caem no colo
do eterno feminino & do eterno masculino
as folhas de agosto
com os fungos do pensamento estéril

...fotografando vamos
a luz que reflete no inerte
& colide com a retina-hímen
arrombad@ de ironia & pré-ocupações

...a fila é longa
os passos pesados
o movimento lento
a mente lerda
vertiginosa é a informação

...os homens arrastam
o peso da vingança fêmea
escravos da consequência capital
o fim da saúde & da sanidade mental

...as mulheres empurram
os fatos de sua utilidade
ao longo do caminho
esperando a morte ser desmentida
nos corredores dos hospitais

...amam sua prole
talvez o carma explique
toda ferida
é macula social

...educados por novelas
& o jornal nacional
odeiam as drogas que os entorpecem

...há traços de idiotia
em cada cabelo bem tratado
&em cada barba cultivada

...mal sabe o modismo
que guerras foram travadas
para que existisse a assepsia

...a vida que transpiramos
nas redes sociais
é um filme romântico
com trilha sonora de canções de guerra
& legendas repetidas
para fotografias mudas

...nesse silêncio virtual que me angustia.



25 de jul de 2017

...Poesia para Gente Triste...

Não sei o que fazer para desconstruir
       o que não fui eu que ergui

corpo, tamanho, heranças
forma, vazio, ordem
o câncer, a saudade

Eu só sei daquilo que eu escolhi
    & por isso posso responder

tatuagens japonesas
livros que li, revistas que abri
sonhos que sonhei

Eu só sei de mim, só, sei de mim
      & por isso sou culpado

ter gostado de Beethoven
amar uma mulher
querer imitar Burroughs

Nada do ódio alheio,
  só do meu ócio sei

filosofia & ayahuasca
literatura & cinema
haicais & erotismo

         Nada sei da guerra
que não foi eu quem declarou

a fome no mundo
a violência nos lares
os prejuízos nas mentes

   Sofro & choro,
o que não é raro

mas coleciono amigas com o nome de ‘ana’
sou anarquista, burguês e de classe média
e tenho simpatia pelo diabo

Sinto prazer em coisas que não admito,
     não preciso afirmar o que é meu

me fascina vestir máscaras para brincar
os paradoxos de ser bom & ser mau
a superação silenciosa do perdão

             Zelo de tolices,
porque nos jardins tudo é colorido

sei que há beleza no mundo
que ninguém, nem mesmo eu, me magoa
que a voz do coração é maior

O proibido não me fascina,
   não fui eu quem proibiu

prefiro dormir do que rezar
andar à pé do que ter que pagar
ser generoso a fazer caridade

Enfim, prefiro estar em paz
      do que estar torto

cheia de convicções a zebra é carne...
os limites da certeza as enchentes simulam...
nada é infinito se uma palavra lhe cabe...

                     Então...
me policio para não usar ‘então’

um beijo pra vocês que são tristes
escrevam mais poemas com a palavra ‘merda’,
o mundo precisa disso,
& me chamem para as polêmicas:

é ali onde exercito fugir para ser feliz!

18 de jul de 2017

D’Arte

A competência de um poeta
não é causar a emoção de uma música,
que batalha entre silêncio e ruído
para se fazer ouvir!

A competência de um poeta
é despertar a euforia
de bailar com o silêncio sentido das palavras,
dança declamada, arte esférica!

É quase de morte sua solução,
causar estalos de consciência...
promover sucintos despertares...
dar orgulho a quem aprendeu a ler...

Só é aturdido pela poesia
quem esqueceu da superficialidade
&quem muito viveu para ter conteúdo
a ser agitado nas profundezas...

É como a lembrança de um encanto
que sempre esteve lá,
pensado& agora dito, escrito,
velado pelo silêncio de quem nunca desdisse....

Os sons soltos no ar violentam a mente,
Mas os poemas seduzem
abrem olhos, pernas, braços, sorrisos, poros
de quem aprendeu a se dar prazer...

Por isso cante seus poemas
sozinh@ ou acompanhad@
&no silêncio de seu espírito
rodopie com seu Daimon de dança & arte!



15 de jul de 2017

Ontos


•Água Benta•

Se tudo é líquido & nada é para durar, 
o que explica a duração do poder dessa geografia corporal marinha? 
Litorais sem limites...
Sinta-se à vontade para liquidar os pudores... 
O oceano está aí à devolver cadáveres machos...
Ondas de arrebentação: "Nada é mais forte que o impacto da carne sobre a carne"... 
& até as anti-marés que regem a reação de toda censura teme o poder aquático do feminino...
O homem não quer a liberdade, 
ele quer apenas a graça de não temer algo mais forte que sua brutalidade...
Por isso, o oceano inconsciente do feminino há de nos afogar, 
& devolver chumbo à praia, para a mulher nos fazer barro de novo!



Facebook-09/07

•Lvx & Volvpia•

Afinal, quem poderá nos condenar por isso?
Tiranos metafísicos, morais, psicológicos?
Afinal, fomos condicionados para lutar ou perder?
Tiranos, como nós, só conhecem a indulgência & a Vontade de Potência!




Facebook-09/07

•Psicopompos Absynto•

Dragão verde rastejando na losna
Se ergue em asas de fadas para deflorar uma rosa,
Do alto abismo cai com sua luz verde
Os incêndios de néon do Absinto inerte,
Nem fada, nem dragão, nem losna, apenas puer
A embriaguez é a visão delirante dessa mulher.




Facebook-07/07

•Gigantomachia•

Minha alma inteira é de pedra
E no meio dela tem um fosso
Que engole tudo
Parece que sinto falta de me sentir triste
Parece que amei tanto a queda
Que agora devo ser fiel à ela...
Encontrei uma menina com o coração rasgado
Ela pensava ser de pedra
Mas era só o chão onde uma rosa tinha crescido
Agora, machucada, ela quer endurecer
Mas é só uma forma de proteger sua flor...
Ela ainda há de ser leve...
Como o peso da nossa queda...




Facebook-04/07

•Voragem•

Desejar
tem que ser por inteiro
como se o outro fosse
a falta
& a saciedade...
Quando a beijar,
sentir que bebe
a água mais fresca
com a sede mais profunda,
Quando a comer,
sentir que devora
o prato mais raro
com a fome mais intensa.
Amar,
só assim,
um desesperado
que encontra ar depois de afogar;
Qualquer outra forma
é continuar na superfície!




Facebook-11/06

• αναφιλια •

Vou inventar um nome para essa sensação de ter o coração preso à você,
Vou construir um conceito extenso 
como as horas do dia em que meu pensamento se volta pra você,
Vou registrar o título dessa patologia de obsessão por você;
O sentido que não quero esquecer!
O conceito que quero compreender!
A enfermidade da qual não quero ser curado!




Facebook-21/05

• Poemnα •

Ela nasceu poesia,
mas por falta de alguém para lê-la
foi se decompondo...
...por isso estou sempre
voltando a você
te compondo
recompondo
repondo você ao devido lugar:
Na minha lembrança como presença
que um dia você vai ser
a afirmação & testemunha
de todo meu ponderar...
Vem ocupar seu lugar
entre as palavras
ser & estar
(Comigo).




Facebook-13/05

7 de jul de 2017

Meu Livro de 'Amor Demais'



 Tenho um livro que às vezes, simplesmente por ser vivo,
some da minha instante...
                                                    mesmo sendo meu... ele é livre & amante...

Eu não sei aonde ele vai que não fica ali constante, como convém,
aos livros que resolvi guardar...
                                                          para reler... & decorar...

É um livro de poemas
os primeiros que, um dia, li cheio de encanto apenas...
                                                     iniciado... na possibilidade da poesia...

Foi ele que me fez querer, além do beijo de uma galega,
compor poesia também...
                                               sem ter medo de rimar... & me expor...

Não sei! Acho que esse livro viaja para algum além quando, em entremeios,
a própria poesia me escapa...
                                                                 como o folego... despacho....

É que hoje eu o procurei, pelo peito cheio de muito estar
ausente de mim também o coração...
                                     & a vontade de continuar, mesmo assim... compor Você & Eu...

Segui então sua trilha de vacância em vacância por entre cada livro empoeirado
pela ânsia de não serem lidos...
                                                             deixados... no rodapé da vida...

Mas o meu livro de poemas do Vinicius foi novamente visitar o sumiço
da vontade nunca tida de não-te-amar...
                                                              à distância mesmo... mesmo como poesia só...

Deve estar em algum lugar, um bar, uma arca, um quarto de amar,
uma casa de número 107, onde eu também devo ir, por crer
                                que é possível à todo mundo amar... com ardor de Amor Demais...

Meu livro de poemas não quer sumir, ele só quer me mostrar o modo poético de ser,
amar é nunca negar que as coisas do coração são assim...
                         estão & não estão aqui... por habitar não estantes...
mas Sentimentos!



1 de jul de 2017

Aedo Kaos - Tiresias

o poema [é como] um feitiço
(sigilo ocasional de inspiração sacra)
                                       com ele o poeta/mago engendra
o que foi, o que é & o que será...
magia marginal [nos] limites do dito

                                               como cego vidente
pressagia o passado
revela o presente
& modifica o futuro
                                 de acordo com sua vontade

& modifica o passado
pressagia o presente
& vela o futuro

&...
desnudo
                                   muda
                                                                                              se transforma também
de masculino [no] feminino
de positivo no negativo
do passivo ao ativo
do carinho na tortura
        pelas palavras...
da palavra ao labor da não-paz...
                               dá visão à voz...
incendeia os olhos leitor...

magia das palavras
                            língua que fornica
          com colapsos de onda
na urdidura da possibilidade
                                                                                           o poeta abraça & abarca
                                                                                            o caos da totalidade...


27 de jun de 2017

.:S.A.U.D.A.D.E:.

Poema I

 .:N.Ó.S.T.O.S:.

Hoje está mais cortante
   mais afiada do que nunca
      como lâmina de bisturi...
Hoje está mais pesada
   mais titânica do que sempre foi
      como o tom das toneladas...
Hoje está mais caustica
    mais acida do que consigo aguentar
       como magma nas entranhas da memória...
Hoje a saudade cobra seu saldo,
    em todas as fogueiras sob as estrelas,
        em toda a distância que pensamento nenhum cobre
           & nenhuma dobra une......
Vem & me mata de excesso, não de carência
      não me deixe acrescer mais conteúdo à essa palavra
         que começa com sal das lágrimas
            & termina com as eras da impossibilidade.
Saudade, palavra atual de toda falta
    corte, peso, dissolução
      que ata, dá asas, coagula
         o sentimento que não passa!

Poema II
 .:Á.L.G.O.S:.

Saudade certeza
    de que o passado foi bom
       & o amanhã será perfeito!
Saudade ilusão
    de que ontem eu sentia saudade
       e hoje eu sinto desolação!


Nota
.:G.E.N.E.A.L.O.G.I.A:.
-Saudade: lembrança nostálgica e, ao mesmo tempo, suave, de pessoa ou coisas distantes ou extintas, acompanhada do desejo de tornar a vê-las ou possui-las, nostalgia.

-Nostalgia: melancolia, saudade. Vocábulo criado pelo médico suíço Hofer em 1678, composto por nóstos (regresso) + álgos (dor).


2 de jun de 2017

Ariana

Ela cavalga uma pantera no anoitecer
Caçando homens que fogem para dentro de labirintos
Aria ariana de nome sucinto
Cavalga uma pantera no anoitecer...

Ela usa os homens
   como máscaras em seu coração
      para rir & para chorar
Percorrendo a distância de sol a sol
   o deserto que cruza para ser quem é
      sempre devastadora
Cavalgando feras domadas no meio das pernas
   distribui sorrisos & gozos esféricos
      & a dose certa de maldades para os corações

Elas cavalgam panteras no amanhecer
Em busca de companheiros para a festa de Baco
Arias arianas de nomes sátiros
Cavalgam panteras no amanhecer...

Elas usam homens
   como estrelas de suas vitórias
      cinzas que deixam no caminho
Percorrendo os círculos das lunações
    plantações abundantes
       onde abelhas vão afiar seus ferrões
Cavalgando feras domadas no meio das pernas
    distribuem encontros & solidões ao seu querer
       não há nada mais que as detenham
Mulheres que se fizeram!