12 de mai de 2018

Corpo de Baile

Sou um prisioneiro,
aprendendo a dançar...
As grades & os muros
não impedem o movimento...

É o vazio aqui dentro
que me convida,
com volúpia, a percorrê-lo!
É a solidão,
companheira feroz de cela,
que impulsiona meu corpo!
É o silêncio,
que vem de você,
a música que me embala!

9 de mai de 2018

Albergue-Museu-Açougue

A atmosfera vibra
com um sorriso lascivo
disfarçado de britadeira
& dá ao ambiente irreverência,
Uma mãe exuberante
cheira caracóis plantados na calçada
falos visgos que a filha
não pode conceber,
Por aí passa & desfila
uma gestante travesti
divinizada pelo santo espírito
que a concebeu impossível,
Duvidosas beldades excitantes
são expelidas da boca do formigueiro
obesas nulas idosas
encantam à distância
na forma que seduz a carência,
Ainda é só & já
o meio-dia possesso
pelo ardor frio da manhã
que trinca a pele libido sob o sol sub-rosa,
& por falar em vísceras
ninguém falou
fica tudo no subentendido tédio
da inclemência dos corpos
que migram por um pouco de saúde,
Tudo tende a enganar
que para-além do entrevisto
fica o não proposto desmascarado,
Alberga-se multidões de sentidos
no quase nada imediato da pobreza
da lida vida que se revela
para além da morte dada.

7 de mai de 2018

Acerca do Dia do Silêncio

Quem descobriu o segredo do universo? O segredo da nação? Da família, do quarteirão, de si mesmo?
Porque eu não sei de nada e é como se eu precisasse disso toda vida, e não preciso!
É a pressão, o tédio, a porraloquice alheia, o sucesso e o fracasso em cada 'im-post-or' disso tudo!
E de repente vemos pairando em todo lugar uma necessidade incrível de algo novo! Mas na verdade não é algo novo, é algo antigo, e que há muito não temos ou nunca tivemos, talvez se chame Silêncio, Sossego, Simplicidade... eu gosto de chamar Serenidade!
Mas o fato é: não precisamos buscar, conquistar, receber a graça, etc., é algo Natural, e como andamos tão artificiais, porque o artifício se tornou a melhor armadura contra este tipo de mundo onde nos inserimos com um clic depois de não lermos os Termos Legais da "vida", achamos que esse artifício faz parte das regras! Não faz!
Sejamos sinceros, sejamos autênticos, sejamos naturais!
Não estou dizendo pra você mudar, ser como eu acho que deve ser, blábláblá mimimi... Não!
Só estou dizendo que EU não sou tanto o que aparento, e procuro descanso desse Não-Ser! Porque não-ser cansa mais do que ser, e o que eu vejo por aqui, na janela do mundo, é muita exaustão... Cansados de todas as formas, com suas insistências, indiretas, murros em ponta de faca, tesões não saciados, redundâncias, contradições, etc.
Então, de minha parte, parto para o descanso... Deixo as imagens falarem... E o céu se ganha de assalto!

6 de mai de 2018

Δ

Os dias de niilismo
não me levam à opções,
Não há fim do túnel
nem sequer luz,
É a engenharia dos sonhos
refundando desejos
que não passam de soterologia;
No escuro que chega mais cedo,
Nos caminhos sem saída,
No desespero das madrugadas,
se eu calar & não temer
ouço a flauta de Δionisio...
É uma forma de pensar
sem o pesar que todos&tudo me contagiam;
Na dobra do tempo & espaço
que chamam consciência
&u sinto o êxtase
de criar
contra toda essa escuridão!

[&mτ]

29 de abr de 2018

desεsperαs

nem tanto o corpo,
mas o pensamento,
o ponho longe daqui
para me livrar de um
ou dois vícios
centenas enfim...

então a senda, caminhos a se perder,
todos trilhas mal traçadas
que me queimam
&levam até você...
perto... longe daqui...
lá onde o pensamento esvai-se
é onde está o prazer... & o doer...

tento não tentar nada,
como mantra que mente
& repete na insanidade
isso tudo que não acaba
desejar... desejar... desejar-te...
nem tanto o corpo
mas o cessar querer
pela consumação do ter!

24 de abr de 2018

Ave Sonho

Um sonho leve acontece...
Respiramos aliviados:
O peso da vida permanece
Que nos arraste asas alheias
Até compreendermos
Como é bom ser independente
Para voar...

11 de abr de 2018

Novos Dias


aquela estrela distante,
  quase nada de luz
    dentro da escuridão?
Em torno dela também é dia,
  se aproxime para ver
    ela irradiando delicado âmbar
      nos céus de mundos
        em torno de si...
Há quem tem a capacidade
  de ver esses novos dias
    nem tão distantes
      com o olho da imaginação!

30 de mar de 2018

Banalidades Essenciais

[Notas de uma manhã calma para os dias seguintes...]

Não descuide de estar sempre
escutando música
& lendo um livro...

Esteja sempre zelando
de tua arte
do teu lar
das coisas em alta estima...

É sadio estarmos com saudade
de certos lugares,
de certa pessoa...
É o que nos faz voltar
É o que nos faz procurá-la...

Não há nada errado em trabalhar
& ganhar dinheiro honesto
É isso que afasta escuridão material
& nos livra das teorias de má-fé
intelectuais & espirituais...

Discipline a mente
a estar sempre imaginando aventuras possíveis,
& abra espaço para um livro imaginário
fonte de suas frases mais belas...

Somos um tanto de coisas banais
misturadas de jóias secretas & raras
Somos únicos & multidão
Estrela entre constelações de estrelas
Tão banais & essenciais...

Um & muitos
Compartilhamos do Tempo
Mas o Espaço que ocupamos
é só nosso...

Seja coveir@ de indiferença
& jardineir@ de Amor
Do ódio seja inimigo
pois ele é as tuas doenças
& a face real abaixo das máscaras
da verdade & da razão...

Para as coisas que te tiram a paz
lembre-se de usá-las para o prazer,
& para as que te elevam
faça delas sua fé particular!

25 de mar de 2018

Crise dos Limites

Tudo está disponível
   acessível & liberado
Mas o cérebro é um filtro redutor
A cultura uma sistema de amestrar
& o tempo o senhor das urgências...
Tudo está disponível
    ao alcance das mãos
As portas do céu abertas
Todos pecados perdoados
mas achamos que não podemos...
Tudo está disponível
   todas as máscaras caíram
Nunca houve tanta verdade nua
Os lados bem definidos
mas achamos que isso não é evoluir...
Os limites se transformam em crise
As crises reinventam o humano
& o humano é
a abertura do aberto
Sempre...
Tudo está disponível
Lá fora!



19 de mar de 2018

Pós-Opinião

Tempos de hiperbólicos sentimentos
mataram a Liberdade de Expressão
Conjugamos novos verbos
como ervas em combustão
Esse senso pós-moderno
de máximas & evidências
Nos leva ao imutável da burrice
agora parece obrigação o desfile de opinião
Só há Escravidão de Expressão!

18 de mar de 2018

Vida

A luz
não diminui de tanto olhar,
Sentir
não desgasta a alma;

Diferente da palavra que se repete
até perder o sentido,
Ou encarar a face no espelho
até ver um estranho;

Longe da palavra,
Além do espelho,
Viver é uma imensidão
que só a luz & o sentir alcançam...

17 de mar de 2018

Ainda...


Tempestade ao longe,
aproxima pelo canto do olho
que irriga com uma lágrima,
a esperança que um dia aventou
nos sinais de fúria & poesia
que sucumbiram junto ao dia;
Naquela tarde escura,
pairava depois do trovão
o sussurro que não mentia,
mas era avesso às lamentações;
Quando tudo se perder,
como o casco da nau que tripulas,
ainda podes acreditar em ti,
para além da comoção das multidões
que naufragam entre enchentes de injustiça;
& o afogamento dos heróis,
sempre servidos mortos,
na ressaca que devolve à praia
a coragem que sempre se refaz
aos pés da opressão que desconhece que o que se verga ali
é a imortalidade do Espírito...
Quanto mais morto
o dom da rebeldia há de viver
& reinventar a si
como a própria tempestade, ainda,
ao longe mesmo;
& os olhos que choram
fazem-na presente
aqui!