27 de abr de 2011

Consolamentum Gnóstico





CONSOLAMENTUM

Nem o Batismo da Água e do Sal
nem o Batismo do Fogo e do Ar1
abrem o Plano Quadrimensional,
como não têm o poder de salvar.2

Como poderá existir uma Iniciação
que redima equívocos cometidos,
que conduza o Iniciado à perfeição3
e que cancele erros de tempos idos?

Tampouco a castidade e a austereza
podem franquear a Porta do Pleroma
e conduzir ao Sumo Bem e à Beleza.4

O Coração! Só a Voz do Coração
pode transmutar o deletério coma5
e realmente promover a Libertação.





Notas:

1. O Batismo do Fogo e do Ar era um Batismo Espiritual (uma Iniciação gnóstico-cristã praticada na Europa medieval) de origem cátara (os cátaros, também chamados de albigenses, rejeitavam os sacramentos católicos do batismo, da comunhão, da confirmação, das ordens sacras, da penitência, da extrema-unção e do matrimônio) realizado após o Batismo da Água e do Sal e era conhecido como Consolamentum. Era concretizado pela imposição das mãos e fornecia a Consolação do Paráclito (o Espírito Santo). Os cátaros conheciam duas formas de Consolamentum: o Consolamentum dos moribundos, que lhes trazia consolo e repouso e era conferido a todos os crentes, e o Consolamentum dos Mortos-vivos – os Iniciados, os Perfeitos. Basicamente, o ritual do Consolamentum se constituía na Oração do Pater Noster, em tocar a cabeça do iniciando com o Evangelho de São João e terminava com o Beijo da Paz.
Seja como for, as orações, os rituais, as iniciações, os batismos, os pactos etc. funcionam tão-somente como catalisadores. Do lado de fora nada poderá acontecer. Logo, é preciso que o postulante esteja preparado e tenha mérito para receber e realizar. Dentro! E tudo funciona mais ou menos assim: a água que cabe em uma panela não cabe em um copo, e a água que cabe em um copo sobra em uma xícara de café. Só recebemos o que merecemos; nem mais, nem menos. E, às vezes, mesmo merecendo...

2. Salvação? Se salvação há, é de nós mesmos que temos de nos salvar. Ninguém pode fazer isto por nós.

3. O que é a perfeição?

4. A castidade e a austereza são condições necessárias, mas não são suficientes.

5. Deletério coma, aqui, simboliza uma forma de viver ilusória, fútil e espiritualmente improdutiva.

Nenhum comentário: