9 de mar de 2017

• Laimósphilia •

Por ali
passa ar
saliva, palavras, grunhidos...

É o colo do perfume
A coluna da face
A ponte do espírito...

Playground da fragilidade
Daath feminino
Território árido 
onde pousam os beijos dos vampiros... 

Ali, eu vou te olhar
& você sempre vai estar
Nua...




-Facebook: 08/02/17

• SummumBonnum •

Somos in-formação...
A Natureza nos criou para vencer a entropia;
Temos a potência de realizar a totalidade da existência,
sermos música & bailar...
Apesar de haver pessoas que insistem em ser ruído & rastejar!


-Facebook: 04/03/17

• De Alpha à Alpha •

Breve estadia... nesse colosso de tempo/espaço,
Saudades de nada,
Imensa saudade do que não aconteceu...
através dos mundos interiores...
Universo à dentro,
Dentro dos momentos de uma presença... agora à solta,
Universo à fora...
Porque os versos são unidos
com α & ν...
É por esse idílio,
que nada vai mudar meu mundo


-Facebook: 24/02/17

• Da Carne dos Lírios •

“Existe apenas uma mulher no mundo. 
Uma mulher, com muitas faces.”  
(Nikos Kazantzakis)

Ela é
um pedaço de realidade
que penetra meu mundo de sonhos...

Ela é
forma esculpida
na pedra bruta do êxtase...

... poema que não termino,
... perfume que me afoga,
... ausência que se presentifica,
... fêmea ex-machina macia & branca,
... sala de tortura da memória,
... incêndio no arco-íris gris do esquecimento,
... semente & fruta de sincrônias que colho em cada mulher...
... carne dos lírios que me nutrem...

Escopo de todas loucuras que ela nunca legará saber na distância de sua sanidade velada pelo tempo & espaço...




-Facebook: 01/02/17

• idílio •

tive uma vislumbre...
uma visão de outra vida, talvez,
passada, futura...
o seu sorriso imenso sobre mim
- sim! eu era motivo de um riso seu,
& um infindo pôr-do-sol lento
por detrás da sombra de uma árvore
que tornava todo céu dourado
& o calor como o som de uma flauta...

o seu sorriso sobre mim, idílico,
como nunca vi
brincando de ser feliz,
você & eu...

& a visão era de um silêncio,
daqueles de lágrimas que escorrem,
falando do todo de um amor
& o calor era como o som de uma flauta...

teu cabelo negro curto,
o sorriso que mata qualquer cede,
as mãos finas perto do meu rosto...
fechei os olhos
pra sentir o cheiro do seu colo,
& acordei aqui,
no pre-sente!

com só
a marca do seu sorriso sobre mim...


-Facebook 18/02/17

3 de mar de 2017

(não) encontro...

&u ontem a vi
com a máquina macia do seu corpo
   que parecia-me dura
      caminhando pela rua...
é a dureza da distância
   a rigidez da realidade
      se esticando sem nunca romper
enquanto vais...
desfilava por entre o tempo
   que levou esses olhos para te reconhecer
      penetrando lenta espaços até desaparecer...
é a dureza dos meus sonhos
   a rigidez do consolo que erijo
       se dilacerando em prazeres sem gosto...
toda querência se resume
   em um mudar de calçadas
      para evitar males menores...
foi-se você
   maciez rígida
      ereta erótica
para as margens do tempo/espaço
    onde não piso mais...
ela não mora mais por ali
    ela é só uma visita na minha visão
       agora assombra as ruas de meu coração...
único lugar

   onde ainda te encontro.