7 de abr de 2017

...Atualizações ao teu exilio

Queria te incomodar com beleza & arte...
...plantar sementes de sonhos na aridez de nossos pesadelos.
Queria viver de poesia & dos teus lábios...
...colher toda paixão que plantei.
Queria morrer de excessos & coisas inúteis...
Mas como maldição,
você deu ouvidos ao único conselho que lhe dei:
-Erre!
& não prestou atenção na afeição...

Eu tenho a vida já a mais pela metade
& um espírito que é inteiro, mesmo despedaçado.
Esses dias, a morte tem me visitado o pensamento
& ela insiste que sentir é o mais importante,
seja dor ou alegria, saudade ou presença, real ou imaginação,
Não faz diferença no final:
O peito foi feito para ser atingido por balas de canhão
Tempestades em copo d’água são formas de ensaiar para o inevitável...
O ser humano não é tão fraco, ele é da forma da dor & do prazer.

Queria afirmar todo sim... mas tive poucas chances
de fazer da distância chance de se olhar mais auroras no caminho...
Queria sempre seguir em direção à minha estrela... mas ela sempre dorme no ocaso...
Queria reafirmar meu pacto com a paciência...
mesmo sabendo que ela é só desistência de exasperação...
Agora vou comemorar, mesmo só, o dia em que você nasceu...
A morte enfim é uma festa!

Eu tenho esse mau hábito de crer em mágicka
& ver que essas coisas sempre encontram um jeito de funcionar,
Toda noite eu mexia em cada ferida que me causei
para não deixar nenhuma porta para você entrar se fechar,
seja ilusão ou desperdício, loucura ou ritual, se assim te faço bem ou muito mal,
Não faz diferença no início, a vida foi feita para acabar.
& eu não vou dar a chance de definhar algo que eu sei ser imortal,
a farsa ainda é a melhor forma de tolerar a existência!

Essa é a minha arte, esse é o espólio do seu exílio.


5 de abr de 2017

Jardinagem no Campo Quântico

Você não precisa mostrar,
   mas exibe...
Não sabe o que é comunicar,
   mas emite sinais...
Você procurar
   sem saber...
Está sempre testando limites
   só para se prender...
Se arruma, maquia, fantasia-se
   para o prazer alheio...

Você está sempre retornando
   ao seu lugar comum...
Corre, compete, supera
    pra dizer que é o mesmo...
Não entende que a simplicidade
   é o que de mais complexo há...
Você está sempre pensando em um “você”
    mas não entende que tudo é “eu”...

Precisa saber da moda
    para afirmar o mau gosto...
Atende inconscientemente ao mecanismo
    da massificação que anula...
Mas não consegue se elevar
    & ver além do paradigma...
Quer viver tudo que há
   mas sai para se entorpecer...
Ama as festas, alegrias, as baladas
   & sequer conhece o sagrado do espanto...

Você estudou para servir para algo
   & acha que profissão é definição de algo...
Vende seu tempo em troca de dinheiro
   não vê que tempo é impagável...
Nunca pensa que por preço nas coisas
    é uma forma de depreciar...
Toma as mesmas decisões todas as manhãs
    sem saber que tudo muda em um instante...
Tem sonhos à longo prazo
   mas seu agora é o sonho de outros...

Você tem medo de coisas demais
   & não sabe que temer atrai...
Está sempre lendo Bíblias
   mas não tem um caderno onde anota seu sonhos...
Você não sente a dor que é ser projeto alheio
   porque sempre acha melhor a segurança de uma promessa...
Aderiu à pressa do mundo
   mas o sangue que corre em suas veias nunca se acelerou por uma paixão...
Circula tão lento como toda indiferença
   nos caminhos infindos de suas veias & artérias...

Você fica eufórico com suas ideias e planos
    mas não sabe o que é o pensamento...
Se pudesse mesmo pensar
   não deixaria se abater por preocupações...
Você diz raciocinar
   mas nunca conseguiu fluir na imaginação...
Não sabe que mesmo o que ignora
    faz seu corpo crescer & envelhecer...
Não é o tempo, não é a vida, não é Deus
    é o que faz com a sua liberdade...

Nunca pensou no que te define
   e gosta de frases de efeito...
Nunca se encarou no espelho
   para sentir o desconhecido...
Nunca esforçou para enxergar beleza no passado
   e respeitar as rugas de seus pais...
Nunca sentiu solidão
    porque não sabe se suportar...
Nunca fugiu
    & não sabe que tudo é circular...

Tudo é
   um colapso de onda...
Somos grama
   no campo quântico...
Eis que flores
   explodem como quasares...
Há coisas além da luz
   & não é escuridão...
Reconhecer um Amor
   é um ato de construção...
Tudo são questões
   para a resposta à tua existência...
A vida é uma chance
   de se cansar de tudo...
Só quem aprendeu a desaprender

    chegou até aqui...