6 de abr de 2008

a relva imersa na água límpida

Se eu pudesse prever tudo
eu te protegeria
como a relva imersa na água límpida
que se move calma e pesadamente ao sabor do cuidado;

Se eu pudesse prever tudo
eu não seria livre
e não faria ninguém triste ou feliz
e seria terrível como um eterno sorrir ou chorar;

Se eu pudesse prever tudo
eu descansaria
e espalharia serenidade de correntes e grilhões
aprisionando as escolhas minhas e alheias;

Se eu pudesse prever tudo
não seriamos como os peixes
que nadam calmamente
por entre a relva imersa na água límpida;

Eu não posso mais
pensar em me ir
cada vez que tiver que chorar ou calar
Eu não posso mais
pensar em me ir
cada vez que eu tiver que fazer vontades alheias;

Deixei de pagar com alegria e submissão
cada vez que uma erupção de ignorância
transbordar os rios de calma que desejo solenemente,
E tentam impedir
minha Serenidade
e os pensamentos de relva imersa na água límpida...


Recomeço...

Recomeçando em um outro blog depois da morte do weblogger!

Foram quatro anos lá... Quantos serão aqui, explorando os abismo de minha consciência, quedando em cada dobra do des-tempo-inespaço?
Profusão de pensamentos desconexos irrigados pela infusão de sangue-raiva na veia...
___________________________

Abre-te Sesamo - Raul Seixas

Composição: Raul Seixas/Cláudio Roberto
Lá vou eu denovo
Um tanto assustado
Com Ali-Babá
E os quarenta ladrões
Já não querem nada
Com a pátria amada
E cada dia mais
Enchendo os meus botões...
Lá vou eu de novo
Brasileiro, brasileiro nato
Se eu não morro eu mato
Essa desnutrição
Minha teimosia
Braba de guerreiro
É que me faz o primeiro
Dessa procissão...
Fecha a porta!
Abre a porta!
Abre-te Sésamo
Fecha a Porta!
Abre a porta!
Eu disse: Abre-te Sésamo...
Isso aí!
E vamos nós de novo
Vamo na gangorra
No meio da zorra desse
Desse vai-e-vem
É tudo mentira
Quem vai nessa pira
Atrás do tesouro
De Ali-bem-bem...
É que lá vou eu de novo
Brasileiro nato
Se eu não morro eu mato
Essa desnutrição
A minha teimosia
Braba de guerreiro
É que me faz o primeiro
Dessa procissão...
Fecha a Porta!
Abre a porta!
Abre-te Sésamo
Fecha a Porta!
Abre a porta!
Abre-te Sésamo
Fecha a Porta!
Abre a porta!
Eu disse: Abre-te Sésamo
Hêêêêi!
Abre a porta! Eu disse: Abre-te Sésamo...