29 de abr de 2011

Eu ouvia... e ainda sinto algo!

O que está acontecendo? - 4 Non Blondes

Vinte e cinco anos e minha vida está imóvel
Estou tentando subir aquela grande colina de esperança
Por um destino
Eu percebi rapidamente quando soube que
Aquele mundo era feito por esta
Irmandade dos homens
Seja lá o que isso signifique

E então eu choro algumas vezes quando estou deitada na cama
Apenas para excluir tudo o que está em minha cabeça
E eu, eu estou me sentindo um pouco peculiar

E então eu acordo pela manhã e saio lá para fora
E eu tomo um fôlego profundo
E eu me elevo
E grito a plenos pulmões
O que está acontecendo?

E eu canto hey-yeah-yea-eah, eah hey yea yea
Eu disse hey! O que está acontecendo?
E eu canto hey-yeah-yea-eah, eah hey yea yea
Eu disse hey! O que está acontecendo?

E eu tento, oh meu Deus como eu tento
Eu tento o tempo todo
Nesta instituição
E eu rezo, oh meu Deus como eu rezo
Eu rezo a cada dia comum
Por uma revolução

E então eu choro algumas vezes quando estou deitada na cama
Apenas para excluir tudo o que está em minha cabeça
E eu, eu estou me sentindo um pouco peculiar

E então eu acordo pela manhã e saio lá para fora
E eu tomo um fôlego profundo
E eu me elevo
E grito a plenos pulmões
O que está acontecendo?

E eu canto hey-yeah-yea-eah, eah hey yea yea
Eu disse hey! O que está acontecendo?
E eu canto hey-yeah-yea-eah, eah hey yea yea
Eu disse hey! O que está acontecendo?

Vinte e cinco anos e minha vida está imóvel
Estou tentando subir aquela grande colina de esperança
Por um destino


27 de abr de 2011

Consolamentum Gnóstico





CONSOLAMENTUM

Nem o Batismo da Água e do Sal
nem o Batismo do Fogo e do Ar1
abrem o Plano Quadrimensional,
como não têm o poder de salvar.2

Como poderá existir uma Iniciação
que redima equívocos cometidos,
que conduza o Iniciado à perfeição3
e que cancele erros de tempos idos?

Tampouco a castidade e a austereza
podem franquear a Porta do Pleroma
e conduzir ao Sumo Bem e à Beleza.4

O Coração! Só a Voz do Coração
pode transmutar o deletério coma5
e realmente promover a Libertação.





Notas:

1. O Batismo do Fogo e do Ar era um Batismo Espiritual (uma Iniciação gnóstico-cristã praticada na Europa medieval) de origem cátara (os cátaros, também chamados de albigenses, rejeitavam os sacramentos católicos do batismo, da comunhão, da confirmação, das ordens sacras, da penitência, da extrema-unção e do matrimônio) realizado após o Batismo da Água e do Sal e era conhecido como Consolamentum. Era concretizado pela imposição das mãos e fornecia a Consolação do Paráclito (o Espírito Santo). Os cátaros conheciam duas formas de Consolamentum: o Consolamentum dos moribundos, que lhes trazia consolo e repouso e era conferido a todos os crentes, e o Consolamentum dos Mortos-vivos – os Iniciados, os Perfeitos. Basicamente, o ritual do Consolamentum se constituía na Oração do Pater Noster, em tocar a cabeça do iniciando com o Evangelho de São João e terminava com o Beijo da Paz.
Seja como for, as orações, os rituais, as iniciações, os batismos, os pactos etc. funcionam tão-somente como catalisadores. Do lado de fora nada poderá acontecer. Logo, é preciso que o postulante esteja preparado e tenha mérito para receber e realizar. Dentro! E tudo funciona mais ou menos assim: a água que cabe em uma panela não cabe em um copo, e a água que cabe em um copo sobra em uma xícara de café. Só recebemos o que merecemos; nem mais, nem menos. E, às vezes, mesmo merecendo...

2. Salvação? Se salvação há, é de nós mesmos que temos de nos salvar. Ninguém pode fazer isto por nós.

3. O que é a perfeição?

4. A castidade e a austereza são condições necessárias, mas não são suficientes.

5. Deletério coma, aqui, simboliza uma forma de viver ilusória, fútil e espiritualmente improdutiva.

18 de abr de 2011

Pálido Ponto Azul

"Olhem de novo para esse ponto. Isso é a nossa casa, isso somos nós. Nele, todos a quem amam, todos a quem conhecem, qualquer um do quem escutaram falar, cada ser humano que existiu, viveram as suas vidas. O agregado da nossa alegria e nosso sofrimento, milhares de religiões autênticas, ideologias e doutrinas econômicas, cada caçador e colheitador, cada herói e covarde, cada criador e destruidor de civilização, cada rei e camponês, cada casal de namorados, cada mãe e pai, criança cheia de esperança, inventor e explorador, cada mestre de ética, cada político corrupto, cada superestrela, cada líder supremo, cada santo e pecador na história da nossa espécie viveu aí, num grão de pó suspenso num raio de sol. A Terra é um cenário muito pequeno numa vasta arena cósmica. Pensai nos rios de sangue derramados por todos aqueles generais e imperadores, para que, na sua glória e triunfo, vieram eles ser amos momentâneos duma fração desse ponto. Pensai nas crueldades sem fim infligidas pelos moradores dum canto deste pixel aos quase indistinguíveis moradores dalgum outro canto, quão frequentes as suas incompreensões, quão ávidos de se matar uns aos outros, quão veementes os seus ódios.
As nossas exageradas atitudes, a nossa suposta auto-importância, a ilusão de termos qualquer posição de privilégio no Universo, são reptadas por este pontinho de luz frouxa. O nosso planeta é um grão solitário na grande e envolvente escuridão cósmica. Na nossa obscuridade, em toda esta vastidão, não há indícios de que vá chegar ajuda de algures para nos salvar de nós próprios.
A Terra é o único mundo conhecido, até hoje, que alberga a vida. Não há mais algum, pelo menos no próximo futuro, onde a nossa espécie puder emigrar. Visitar, pôde. Assentar-se, ainda não. Gostarmos ou não, por enquanto, a Terra é onde temos de ficar.
Tem-se falado da astronomia como uma experiência criadora de firmeza e humildade. Não há, talvez, melhor demonstração das tolas e vãs soberbas humanas do que esta distante imagem do nosso miúdo mundo. Para mim, acentua a nossa responsabilidade para nos portar mais amavelmente uns para com os outros, e para protegermos e acarinharmos o ponto azul pálido, o único lar que tenhamos conhecido".
(Carl Sagan - http://pt.wikipedia.org/wiki/P%C3%A1lido_Ponto_Azul)
"Esta é a Pedra Fundamental, mais conhecida como A Rocha, simplesmente. Judeus acreditam que foi a partir dela que Deus criou todo o mundo. E que foi sobre ela que Ele testou a fé de Abraão ao pedir o sacrifício de seu filho Isaac. É o pedaço do planeta mais sagrado para o judaísmo. Mas, há muitos séculos, ela repousa sob o Domo da Rocha, na mesquita de Omar, em Jerusalém. Muçulmanos acreditam foi a partir dela que o profeta Maomé ascendeu aos céus pela mão do anjo Gabriel. Muitas guerras foram travadas, muitos templos destruídos e muito sangue foi derramado pelo direito de posse desse sacratíssimo pedaço de chão. Hoje, mesmo com o controle israelense sobre Jerusalém, não muçulmanos são impedidos de entrar na mesquita e ver essa pedra.
A foto pequena chama-se “pálido ponto azul” foi tirada pela sonda Voyager. É o retrato mais distante feito da Terra e nos foi enviado do espaço em 1990. E inspirou o astrônomo Carl Sagan a batizar seu livro de 1994 em que escreveu o trecho:  “A Terra é um cenário muito pequeno numa vasta arena cósmica. Pensai nos rios de sangue derramados por todos aqueles generais e imperadores, para que, na sua glória e triunfo, fossem amos momentâneos duma fração desse ponto. Pensai nas crueldades sem fim infligidas pelos moradores dum canto deste pixel aos quase indistinguíveis moradores dalgum outro canto, quão frequentes as suas incompreensões, quão ávidos de se matar uns aos outros, quão veementes os seus ódios.”

Eu quis reproduzir essa fantástica página da revista Trip deste mês. Ela faz nos pensar um pouco sobre nossa imensa mediocridade e como o pensamento religioso pode aumentar mais ainda nossa pequenez a transformando em idiotia generalisada nossa. Ponha-se em seu lugar macaco!!!

11 de abr de 2011

Tempestuoso colibri

Naquela tarde em que tudo era uma chuva só lá fora,
Nesse dia em que o êxtase das tempestades caia aqui dentro de nós,
Eu observava o cume de uma árvore
     no deleite de um sol que à tudo clareava
          mesmo com tais brumas grossas de nimbos
               ocultando todo o azul & branco do céu;
Esse azul & branco que é do Sol também... Inocultável!

E naquele momento de expansão,
Atordoada & mansa você se sentou pelo caminho.
Ali eu quis lhe falar, eu quis lhe mostrar os cumes das árvores,
Mas respeitei aquele momento,
Respeitei esse nosso momento de elétrico êxtase silencioso & tempestuoso
      quando somos dia & noite, quando somos lua & mar;
Essa tempestade calma que é do Sol também... Indefinível!

Eu quis lhe dizer
     que sob a chuva & a claridade no lugar mais alto das árvores
Haviam ninhos de beija-flores...

...E que todas essas nossas torrentes tempestuosas
      são apenas o bater de asas de um beija-flor dentro de nós! 

e.m.t

5 de abr de 2011

Luandas (Déa Trancoso)


Quando eu vim lá de Luanda
Truxe cuica e gonguê
Quem brincar em Cambinda Estrela
Esse baque é de Guiné

Eu tei' n bombo eu tei'n caixa
Gonguê com a fita
Rei e Rainha e boneca bonita

Quem brincar  em Cambinda Estrela
Tei’n que pisa na pontinha
Para não incomodar
Nem o Rei nem a Rainha

Eu tei' n bombo eu tei'n caixa
Gonguê com a fita
Rei e Rainha e boneca bonita

Vamu vê Luanda ó Miçanga
Chegô, chegô!
Vamu vê Luanda ó Miçanga
Chegô, chego!

Vamu vê Cambinda Elefante
Nossa Rainha já se coroou
Vamo vê Cambinda Elefante
Nossa Rainha já se coroou!


1 de abr de 2011

Caminho do Tao





“Tudo o que não for dito com sinceridade total, é dito de forma errônea. E a incapacidade de livrar-se desse vício implica em aprofundar-se apenas no caminho da perdição.
     Aqueles que praticam o mal em plena luz do dia – os homens os castigarão. Aqueles que praticam o mal em segredo – Deus os castigará. Quem teme aos homens e a Deus, está apto a caminhar sozinho. Os que se devotam ao interior, na prática não adquirem reputação. Os que se devotam ao exterior buscam a preeminência entre seus iguais. A prática sem a reputação confere prestigio aos mais perversos. Mas aquele que busca preeminência entre seus iguais é um mascate cuja fraqueza todos percebem embora ele afete ares de felicidade.
     Aquele que está em natural solidariedade com o homem, a ele todos os homens vem. Mas aquele que se adapta por força das circunstâncias, não encontra lugar nem para si mesmo, muito menos para os outros. E aquele que não tem lugar para os outros, não tem laços. Tudo se encerra a si próprio.
     O nascimento não é um início; a morte não é um fim. A existência sem limitações é o espaço. A continuidade sem um ponto inicial é o tempo. Há o nascimento, há a morte, há o prosseguimento, há o ingresso. Aquilo em que alguém ingressa e de onde sai sem ver a forma, são os Portais de Deus.
     Os Portais de Deus são a não-existência. Todas as coisas surgiram da não-existência. A existência não poderia fazer da existência a existência. ela só pode ter surgido da não-existência, e a não-existência e o nada são uma coisa só. Nisto reside o sábio.
     Descarte os estímulos do propósito. Liberte a mente de perturbações. Livre-se dos emaranhados da virtude. Atravesse as obstruções ao Tao.
     Honrarias, riqueza, distinção, poder, fama, ganhos – estas seis coisas estimulam o propósito.
     Aparências, porte, beleza, argumentos, influência, opiniões – estas seis coisas perturbam a mente.
     Ódio, ambição, júbilo, raiva, pesar, prazer – estas seis coisas são os emaranhados da virtude.
     Rejeição, adoção, recebimento, dádivas, conhecimento, habilidade – estas seis coisas são obstruções ao Tao.
     Se não permitimos que estas vinte e quatro coisas andem em desalinho, então a mente funcionará devidamente ordenada. E devidamente ordenada, estará em repouso. E estando em repouso, terá clareza de percepção. E tendo clareza de percepção, estará incondicionada. E estando incondicionada, estará no estado de inação (não-ação) pelo qual nada existe que não possa ser conquistado”.