16 de abr de 2013

(A Arte de Esquecer)

Agora estou cansado
   porque andei a longa curta estrada da minha vida
      & não sei o quão mais longa ela ainda pode ser...
Mas o que já trilhei me cansou
   porque tudo à minha volta se tornou tão velho
     que não quero mais nem mesmo as lembranças de ontem...
Ah! Como estou... apaixonado pelo dia de hoje!

Eu não quero mais
   voltar àquele lugar onde fui me embrenhar,
Todo esse jeito morto & definitivo de se estar magoado,
   irreversivelmente magoado.
Eu não quero mais chegar ao ponto
   onde só a doença ou a morte podem nos modificar.
Eu não quero mais estar aqui!

Pois mesmo entre o que quero esquecer,
   entremeado como cipós em árvores,
     estão boas lembranças do que eu queria que as coisas fossem,
Todas as chances & todos os sentimentos
   que me fizeram quem sou,
Até o dia antes de hoje...

& quando essa manhã veio
   trazendo toda a chuva que trouxe,
Eu andei pelos mesmos lugares & falei com as mesmas pessoas...
Mas hoje havia algo diferente,
Havia a influência de algo transcendente
Algo que é de um “você”, mas que não “te” pertencia.
Uma presença, uma promessa,
   uma proximidade, um acalanto, um toque, um sorriso.
Essas coisas que eu tive vislumbres
   quando estive perto de um verdadeiro amor.
Você sabe, “você” é tudo que amo & que me amou!

& em uma cena geral tão longa como uma manhã e uma tarde
   eu pude recordar do que nunca quis esquecer,
      & essa lembrança é uma maré de dor & amor
         que me perpassa & me mostra que sou menor,
            menor do que todo sentimento que posso comportar.
& assim transbordo, transbordo tanto que me fluem lágrimas dos olhos
& me enchem o peito de lacerações
& me reduz a vida esfacelando todos os anos que se foram
& fazem desse dia o primeiro dia
   do resto de minha vida...
Um caminho sempre a acabar & começar...

Eu não quero chegar naquele lugar, naquele momento, naquele instante
   em que só a morte ou uma doença podem mudar algo em uma vida.
Eu não quero voltar para esse momento de minha vida...
Eu quero hoje ter a chance de esquecer
   & poder lembrar
      de todo o bem que o amor um dia me fez...

Brilho nos olhos,
Alegria de viver...
Brilho nos olhos,
Alegria de viver...





1 de abr de 2013

O Nome Secreto do Amor

Caos & efeito
   é do que é feito toda coisa.

Pois se primeiro surgiu o caos
   & só depois o amor...
É porque o amor é efeito do caos,
O amor é feito de caos.

O caos causa amor
& em caos eu sempre amei;
Cobra de duas cabeças,
Sentimento de prazer & dor,
Sublime graça & pecado.

Em tempo & espaço
Abri duração para teu ser
& abrangi campos para te encontrar;
Pois requeria meu nada
A primordial sensação
Que o amor & caos me instruíram.

Pois para além de toda medíocre idade
Onde eu vaguei pasmado por ignorância
Já o amor desabava sobre mim
E sussurrava seu hálito de tempestade
Dizendo-me seu nome secreto:
Caos!