21 de mar de 2014

NaamAutuum



“Compreender o inimigo leva-nos a  amá-lo”
A Gnose reveladora impõe isso ao indivíduo.
Compreender o mundo, as situações, as pessoas
   é começar a amá-los…
Eis o grande segredo do Meio Dia,
Por isso é que com ele, o Grande Meio-dia traz consigo o Amor-fati,
   o amor ao nosso destino…
Compreender a realidade & todas as suas mazelas é o início do fim de tudo;
Assim o grande ódio se transmuta no grande amor,
no Oceano do Amor!
O fato de a pobreza do mundo - nós -
   ter compreendido isso antes dos Arcontes revela nossa proeminência
      & o que está contido dentro de nós mesmos,
Revela a natureza de nosso Espírito
   & o que a Gnose nos dá.
Somos daquela fonte de toda Compreensão,
   somos da fonte da Sabedoria!
Por isso sinto no ar a energia emanada da voz de todos os Budas & Bodhissatvas
   de todos os tempos & lugares…
      & junto à esses seres eu canto o profundo Mantra da libertação final,
A Chamada da  Voz do Silêncio,
A profunda canção da Compaixão pelo mundo
   & por tudo que há contido dentro dele:
…este meu corpo imperfeito, essa minha vida incorrigível, esse dia de tantos desejos & decepções que me trouxe até aqui, minhas escolhas de fim de tarde, as ruas sujas & cheias de barulho, o toque quente de A. com um sorriso nos olhos, a grande calma no olho do furacão, todos os crimes & bondades que acontecem por aí…
& vou derramando lágrimas enquanto a corrente do sonido perpassa
   por meu Espírito sem eu ao menos me dar conta de sua expansão…
& as marés do Amor vão subindo,
   varrendo de volta para praia
      cadáveres que precisam ser exumados
         antes dos deuses confusos pisarem as areias da praia novamente…
Por isso sinto no ar a energia propagada da voz de todos os Iluminados Perfeitos
   & dos seres de puro amor que regressaram do Arco do Nirvana 
      em todos os tempos & lugares…
& junto à esses seres eu canto o profundo Mantra da libertação final,
A Chamada da  Voz do Silêncio,
A profunda canção da Compaixão pelo mundo
   & por tudo que há contido dentro dele:
…meus amados pais & todos os meus amigos & desafetos, meus gatos mortos pelo apocalipse motorizado que durará um kali-yuga pessoal, meus gatos vivos que prezam a segurança e amam o carinho de minhas mãos, as texturas de perdão & bondade que brotam da pura sorte que até o mal declina pelos equinócios do bem, & todas as outras frases que brotam da voz do meu coração que encheriam as entrelinhas de todos os livros do mundo com um só sentimento…
“Eu compreendi a mim mesmo!”

(Agora… a lâmpada deste quarto de visitas pode se apagar!)
Uberlândia – Outono de  2014.


Nenhum comentário: