24 de ago de 2015

A Imobilidade da Noite

“Eu entendo a Noite
como um oceano
que banha de sombras
o mundo de Sol...”

                                   Zé Ramalho
                                  (Beira-Mar)

Noite imanente
domina tudo que há,
O repouso profundo da criação
Nela habita como aborto,
o eternamente acontecido....

Imperturbável perfeição
sem nome e sem acesso
Eu com palavras apenas sonho
infames formas de te diminuir
para que caiba em minha imaginação...

Que acidente inconcebível?
Que erro voraz
fez conceber de ti a ferocidade da luz?

Mistério nenhum há aqui
Inconsciente noite
sem ligar para seus próprios sonhos
Deixou perpetrar o erro que é a realidade...
pois não há por que
naquilo que é capaz de ter porquês!

Noite imanente
ainda domina tudo que há
Enquanto aqui, no vão de um abismo,
nós nos iludimos que exista sentido
na existência
Só porque a luz a circula insana

por entre artifícios de informação desconexa.


Micro-obra: Liber NOX

Nenhum comentário: