3 de mar de 2017

(não) encontro...

&u ontem a vi
com a máquina macia do seu corpo
   que parecia-me dura
      caminhando pela rua...
é a dureza da distância
   a rigidez da realidade
      se esticando sem nunca romper
enquanto vais...
desfilava por entre o tempo
   que levou esses olhos para te reconhecer
      penetrando lenta espaços até desaparecer...
é a dureza dos meus sonhos
   a rigidez do consolo que erijo
       se dilacerando em prazeres sem gosto...
toda querência se resume
   em um mudar de calçadas
      para evitar males menores...
foi-se você
   maciez rígida
      ereta erótica
para as margens do tempo/espaço
    onde não piso mais...
ela não mora mais por ali
    ela é só uma visita na minha visão
       agora assombra as ruas de meu coração...
único lugar

   onde ainda te encontro.


Nenhum comentário: