14 de mai de 2012

Osculibrir


Já zuni feito um trovão leve
O som de fundo de todo o som do mundo,
Posso sentir, enquanto farfalho lento de lá para cá...
   ao vento...

É eletricidade & vento acontecendo
    na atmosfera exterior de meu cérebro...
Ele quer desesperadamente ser beijado
   por meu coração...

Os beija-flores já chegaram no meio do jardim
   das expansões de minha consciência...

Aqui fora chove cristais sobre minha tez...
   é o néctar do desfrute do colibris,
      é o néctar da luz que bebi...

O zunir me convida a voar
   rápido, atrevido, alucinante como o beija-flor...

Eu quero erguer, elevar-me...
Mas sou possuído, eu estou enraizado no mundo
   eu sou apenas o espinho & a rosa
      onde o beija-flor vem beijar...

Leve de mim contigo
   o pouco de doçura que tenho,
Deixe de ti comigo
   essa sua fartura de ágil candura ,
Só assim ainda posso ser
Co-livre com ti.

Nenhum comentário: