23 de jun de 2013

Invisível como a Língua



...É que nascemos tão invisíveis
   & sem nosso próprio sentido,
Que o sabor que temos
   está espalhado na promessa
que todo encontro traz...


É interessante
   que por mais que estejamos tão cheios
      desse sentido de nós mesmos,
         do que nós somos
 (ou pensamos que somos, ou dizem que somos)
            & disso que incansavelmente
               chamamos de “eu”,
O que justamente faz diferença em nossas vidas
   são as outras pessoas que conhecemos...

Porque assim
   como não conseguimos
      provar o sabor de nossas próprias línguas
Nós não viemos prontos em nós mesmos
   mas somos aquilo que sentimos
      na relação com os outros...

Cada um
   é principalmente o que é
      depois que começa a ser dois...

E assim,
 Ao longo dessa grande fila
   de contatos de sorrisos & brutalidades
Vamos nos definindo por afastamento
   dessa grande solidão que nos envolve
Antes & depois do momento em que viemos
   & deixamos de existir...

A beleza, a dor,
& tudo mais que aflora de se ser alguém
   define o quanto podemos ser:
Infinitos
   em nós mesmos & nos outros...

Nessa trilha de minha existência
   onde já tarde aprendi a definir o sentido da vida
      como o apelo por aquilo que eu gostaria
         de reviver pela eternidade,
Não são aos momentos que devo retornar,
   mas para a proximidade das outras pessoas...

& dentre todas elas que conheci até então
   só posso pensar que não há nenhuma
      que eu gostaria de  excluir da próxima vez,
& isso me faz entender
   o quão importante é reencontrar finalmente
      aquelas que só me fizeram bem...
À elas talvez eu tenha que dizer um obrigado
   ou pedir alguma desculpa,
& à um Deus
   eu agradeço por todos vocês...

Agora, na solidão dessa noite
   em que escrevo estas linhas
Eu agradeço muito mais por você
   que é o foco de minha vida nesses dias estranhos,
Pois se é tão difícil salvar uma vida,
Só a menção de sua presença aqui
   faz com que eu queira salvar a minha...

Por isso gostaria de dizer
   à essa presença invisível no meu coração
Que nada brilha mais
   do que luz de uma pessoa boa!
É ela
   que muitas vezes salva a vida
      de alguém que já se achava perdido
Essa luz aponta
   o caminho de volta...

& prolongo isso à toda humanidade,
Estendo isso ao infinito
   onde a culpa se cala
      dando o espaço do silêncio aos sentimentos maiores
Uma amplidão para se fazer agradecimentos,
Ainda bem que existem os outros
   & ainda bem que você existe...

Conhecer as pessoas certas
   faz toda a diferença na vida
Conhecer as pessoas certas
   é o que faz a vida valer a pena
      até ser revivida...

& quando se retorce todo o sentido de existir,
   na forma de um sorriso
      na cor amena transmitida em um olhar
         na frase tola dita sem preocupação
A língua pode seu próprio sabor experimentar
& descobrimos a partir de onde
   somos infinitos...

Os afortunados que isso sentem
   saboreiam o sabor de si mesmos
      através da presença preciosa
         de outra pessoa
Que se põe gentilmente
   ao alcance da visão & da companhia
& nada mais é invisível para esses,
Torna-se apenas transparente,
   como todo verdadeiro Amor.





Para A.L.B
(e às crianças que um dia fomos...
& nunca deixaremos de ser)
Uberlândia, 23 de Junho de 2013 (00:01hr)






Nenhum comentário: