22 de ago de 2016

Poema do Sal do Suor (Eclipse-Ouroboros)

I
A alma é uma estranha neste mundo
& o corpo sofre os castigos deste estranhamento

...dor, solidão, confusão, ódio, terror...

Como um vírus, bactéria, apêndices
a alma contaminou a carne
& faz-nos padecer de espírito!

II
Ah! Quem dera
nunca ter ouvido falar do Divino!

O mal penetrou no mundo
por causa de Deus!
O corpo é o único bem que deveríamos conhecer.

III
Se tenho um Alento
um pouco de Nada, um Abrigo
Algo para suportar existir
É a presença & o corpo dela,
que busco, quando na vida brinco...

IV
Nesse mundo só uma pessoa
poderá lhe mostrar a diferença que há
entre o gosto da lágrima
&
o sabor do suor.

V
Ela
é aquela
que eclipsará no teu olhar
todo o sentido de gostar

Uma nova visão
um novo sentir
um libertar!

Um encontro para dar
a paz & a guerra
de Amar!



Nenhum comentário: