10 de nov de 2012

Caminho...


“Não dobre os joelhos sob o peso de um coração partido.
Esse é o meu conselho para você! Jamais se entregue!”
Sam Shepard

Caminho, ando por aí
vago & instável
Pois meu coração chora
e um coração que chora
se torna pedra ou ferro.
Para que serve um coração de pedra?
Para que serve um coração de ferro?
Pra esfriar e enferrujar...

Mas... Ah! O Coração!
O coração carrega fardos que não é dele!
Divide com o timo as cargas das infelicidades!
Mas o coração não pode parar...

O que pesa o coração
é o peso do chão.
O peso de cada passo
                                                                   de cada palavra
                                                                     de cada sim
                & cada não!

Caminho,
ora solene,
horas sonolento,
ora distraído,
traído por um punhado de silêncios...

Sim!
Porque é o que não se diz que maltrata!
A ausência que tritura
tudo aquilo que ali devia ser belo.

Pois não há abandono
que ganhe sentido
em um mundo que tudo há de faltar finalmente...

Por isso que nos é concebido
o dom de chorar & sofrer
quando não há mais nada,
Só o desampara que define nossa condição!

A morte eterna...
a insensibilidade dos sexos...
o abandono dos gatos...
a solidão das pessoas...
a brutalidade do sistema...
a frieza do tempo...
o desconsolo da pobreza...
a fartura do ódio...
o engodo do futuro...
a força das doenças...
...

Caminho
ainda assim,
Porque quando abandono a mim
todas as noites,
sozinha minha alma sonha
com coisas melhores
para meu coração.


Nenhum comentário: