20 de nov de 2012

Eliza...

                                               “A vida até PARECE uma festa...”
                                                                                                (“Diversão”, dos Titãs)

... vagou como prêmio pelo covil dos lobos
sugando a morte para sua alma
sorvendo o lodo doente que impregna a mente
   dos príncipes deste mundo,
... andou com alegria vã
por entre cães, serpentes & abutres
que só queriam diversão,
ave colorida em gaiola enferrujada
   de um inferno luxuoso,
... mas agora ela não existe mais
é só uma efêmera memória
   entre reportagens & pornografia de catálogo
seu corpo despedaçado em ignorância & ódio
seu espírito  condenado como assassinos não hão de ser,
... vitima da própria ignorância & da estupidez dos homens
tão tola & bela
tão inocente & culpada
tão astuta & ignorante
como todos nós!
... descanse em paz onde estiver
   mesmo que a justiça não seja feita
      & se contigo a felicidade não estiver.


Nenhum comentário: