1 de jun de 2014

IMORTAL



Vivo todos os meus dias

   cada hora, cada minuto

      esperando para comer o banquete frio

          que saciará a fome de minhas saudades…



Espero aqui,

   onde o oceano negro da vida

      quebra em ondas de clamor nas pedras do caos,

         o naufrágio final de meu corpo…



Uma partida sem despedida

Uma saudade, um imenso vazio

Não sou tão forte como pensei

Mas sou o melhor que posso ser

Imortal no desespero diante da vida

Imortal no desespero diante da morte



Eu sou a calma no fundo do mar

   & o peso imenso da pressão é meu pensamento

Negro & sem som

   é o sentido da corrente que me leva inteiro

De volta ao astral onde nos encontraremos de novo…



Eu sou o vazio do éter sideral

   & a leveza do vácuo é minha ação

Transparente & sem som

   é o desapego da nulidade que me leva inteiro

De volta ao Pleroma onde seremos só um



Uma partida sem despedida

Uma saudade, um imenso vazio

Não sou tão forte como pensei

Mas sou o melhor que posso ser

Imortal no desespero diante da vida

Imortal no desespero diante da morte



Espero, digno & insano,

   onde o oceano se torna ridículas gotas

      para ajuntar em furor & serenidade

        cada pedaço de mim que os Arcontes brincaram de existir



Morro todos os dias

   a cada momento, a cada respiração

     só para poder estar de novo do outro lado

       & fazer os deuses saberem o que é ser

Homem & Imortal



Uma partida sem despedida

Uma saudade, um imenso vazio

Não sou tão forte como pensei

Mas sou o melhor que posso ser

Imortal no desespero diante da vida

Imortal no desespero diante da morte





Nenhuma dor, por maior que fosse, me matou por inteiro

Mas morri aos poucos, de loucura & falsos apegos

E depois de morrer em pedaços

Ainda existia a força imortal

Sem nome, sem corpo, sem princípio nem fim

Que me falava em silêncio

Que o espírito era ódio

Revolta contra a existência

O espírito é minha divindade

Rebelde contra todo esse desnecessário sofrer!


Nenhum comentário: