11 de jul de 2015

Vesperança

Antes da aurora
   desperto de uma semana de sonhos
No céu, estrelas fora de lugar
   me lembram que o inverno ainda não passou

Eu as espero voltar ao lugar
   e a Estrela da Manhã novamente rebrilhar em seu trono...

Nos sonhos me falavam de perfeição
    com um sorriso meio-higiênico, meio-demente
Agravando as certezas que nos deterioram

No sonho me digo enamorado da imperfeição
   pois se a eternidade imóvel está nos números perfeitos
O infinito transmutante
   se revela nos imperfeitos, como caracóis nas mirações

Espero a sanidade voltar
   e a fiel Sophia novamente reinar nos corações...

Incompreendido fujo dessa prisão para o caráter
   & saio pela boca escancarada de um Xibalba funcional
Expelido como em um parto doloroso
   acordo sob as estrelas desviadas
Como um sinal do poder eterno & restrito dos Arcontes
   que como professores, são presas de seus pupilos

O sereno da hora mais escura no meio do inverno
    fratura o tempo em momentos infinitos... infinitesimais...
Agradeço na oração das manhãs
   a imperfeição que ainda me permite

      vislumbrar esperanças....


Nenhum comentário: