15 de out de 2015

Antecâmara


“A arte consiste em ocultar a arte"
Ovídio
...

inferir perfeição
                            naturalmente

comunicar sons
                           harmonias

informar cores
                          cromatias

filosofar não-saber
                                sentimentos

sonhar com nada
                             confins do esquecimento...

rabiscar mazelas
                            subentendidas nas entrelinhas

sorver fractais
                        dos ramos, das nuvens, das matas

amar dançando
                          penetrar sem toques a nós mesmos e aos outros

descobrir pela gnose
                                  que não mais habitamos o mundo

já vivemos no irreal
                                  complexos de símbolos

perdidos em nossa genialidade humana
                                                                não sabemos mais voltar à perfeição do desdito

a sina, o fado, o desejo
                                     para sempre lacrados pelas palavras que esquecemos as origens

a anti-verdade
                         reprisada no desconcerto de nossas decepções

dos mistérios perdidos
                                 aquele das núpcias ainda nos esperam na antecâmara do Pleroma


& finalmente esquecer...



Nenhum comentário: