24 de mai de 2016

na luz

...
passei por todas as portas
que abrem para dentro & para fora
procurando uma cor
mais clara que a branca
...
fui até onde
o longe se perde no aonde
tentando achar
a palavra que te chamasse sem chamar
...
em volta do fogo,
que queima em ardor,
senti o calor de ninguém
que queria que fosse de você
...
no ar que respirei
que aspirei ser o hálito seu,
sufoquei a vontade
de te querer por querer
...
enquanto você mudava
desconstruindo a memória de outrora,
fui aprendendo que amar o que não se vê
é a forma de amar sem poder perder
...
das portas
das cores
do nome
no ar, na luz que partiu
...
permaneci fiel às três letras
que fazem jus à sua essência,
& depois da distância
encontrei no longe o lembrar
...
longe de tua luz
longe de te encontrar,
o que fica de bom no exílio
é só a sensação de poder tornar
...
distância total
eclipse do revelar,
eu fico no escuro
até a luz me levar.

...ela tem um nome
         que eu guardo
                                na luz
                                do fogo
                                da memória
                                                   enquanto aprendo a te encontrar...


Nenhum comentário: