4 de out de 2016

Gozo de Gnose

Sonho com uma sinfonia,
Um desfiar de sons que componho a noite toda...
Construo uma catedral,
   um campo verde,
        uma alcova de nuvens gris...

Sei por saber -
   como um enjoo no turbilhão -
Que começo a enlouquecer
   com um tambor de retumbar quadrado...
A concepção é amaciar o coração...

Um coro vai cantar
Me afasto para ver as crianças com asas de cupido
   tão neutras como a cal
       que calafetei as paredes da catedral...

“...rumo ao Pleroma
    do peso mais pesado
          do mundo mais amado
...senda feito de linhas imaginárias
     serendipedes multicolorido
           dar dor mais gostosa...”

A alcova é o altar...
Que se ergue no ar como fumaça de incenso,
No leito eu abraço um corpo de luz
    que irá me queimar

           com a cintilância de um gozo de gnose...




Nenhum comentário: